Como declarar rendimentos da poupança no IR?

rendimentos poupança

Você sabia que a caderneta de poupança é isenta de IR? Ou seja, não é preciso pagar imposto por ter poupança. Entretanto, isso não desobriga de incluí-la na declaração. Suas aplicações e ativos financeiros devem constar da Declaração de Ajuste Anual, caso você a faça.

Conforme as regras previstas, quem fizer a declaração deve informar saldos superiores a R$ 300.000,00 em contas de Poupança. Isso é feito na ficha “Bens e Direitos”, considerando o saldo do último dia do ano anterior (31 de dezembro).

As Cadernetas de Poupança devem ser discriminadas pelo código 41. É preciso saber que desde 2018 foram implantadas algumas mudanças para a declaração de aplicações financeiras nesta ficha.

Há campos específicos para informar o CNPJ da instituição financeira, o número da agência (sem o dígito verificador) e o número da conta. Você deve indicar também o número da conta sem o dígito no campo especificado, e o seu dígito verificador no campo DV.

No campo “Discriminação”, informe o nome da instituição financeira, se a conta é conjunta e, em caso positivo, inclua o CPF do outro titular. Por exemplo: conta-Poupança no Banco XYZ conjunta com [nome da pessoa], CPF nº XXX.XXX.XXX-XX.

Declaração de rendimentos anuais e situação anterior

Você deve informar os rendimentos da poupança na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. Aqui, não se trata do saldo da conta, mas do valor que obteve por meio da aplicação financeira.

Mas você não precisa se preocupar com as regras para calcular qual foi o seu ganho. As instituições financeiras enviam um documento — o Informe de Rendimentos — que indica o total obtido pela poupança no ano. Logo, basta replicar as informações ao preencher a sua declaração.

Também é necessário indicar os valores nos anos anteriores. Em 2022, por exemplo, você deve preencher os campos “Situação em 31/12/2020” e “Situação em 31/12/2021” com os valores discriminados no informe de rendimentos enviado pela instituição financeira.

Você deve escolher o código 12, específico para “Rendimentos de cadernetas de Poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliárias (LCA e LCI) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI)”.

Além disso, é preciso mostrar se os rendimentos são do titular ou de um dos dependentes da declaração. Informe também o nome e o CNPJ da instituição financeira pagadora e o valor dos rendimentos.

Poupança não é o único investimento com isenção de IR

Se você está na poupança até agora por causa da isenção de Imposto de Renda, saiba que, além do dinheiro, você também perdeu tempo. Isso porque existem outros investimentos que também passam longe do Leão, como os fundos imobiliários.

É possível investir com facilidade em ativos com boa liquidez, sem pagar impostos e, ainda, ganhando mais dinheiro.

Como funciona a declaração sobre as contas-correntes?

Se você tiver saldo em conta corrente nas suas contas bancárias, também deve informar na declaração. Nesse caso, o saldo é informado pelos códigos 61 (se for uma conta no Brasil) ou 62 (se for uma conta no exterior).

Alguns bancos fazem uma aplicação automática dos saldos em contra corrente, pagando uma remuneração específica. Nesse caso, os saldos não devem ser declarados como contas correntes, mas sim como as aplicações financeiras que foram feitas.

Em geral, os saldos em conta são aplicados em Certificado de Depósito Bancário (CDB) e Recibos de Depósito Bancário (RDB). Nesse caso, você deve informar na ficha de “Bens e Direitos”, sob o código 45.

Os demais campos você deve preencher segundo a mesma lógica usada para declarar Poupança e conta-corrente. Ou seja, indique o CNPJ da instituição financeira e valor dos rendimentos, lembrando que eles não são isentos de IR.

Para esses títulos a tributação ocorre diretamente na fonte, então não é preciso se preocupar com os recolhimentos. Porém, você deve informar os ganhos na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”, no código 06, “Rendimentos de aplicações financeiras”.

Em seguida, é preciso informar se o beneficiário é o titular ou dependente na declaração, além de indicar o CNPJ, o nome da fonte pagadora e o valor do rendimento. Por fim, confira todas as informações para não cometer erros na declaração e observe o prazo para não atrasar o envio.

Fonte: Genial Investimentos

Declarecerto seus rendimentos da poupança!

Apesar de ser um retorno financeiro isento de tributação, é preciso saber como informar a Receita sobre a conta poupança.

Com as dicas que demos, agora você consegue entender como declarar rendimentos da Poupança no IR. Mas para facilitar sua vida, viemos te mostrar uma solução simples e segura para você enviar corretamente a sua declaração e não ter preocupações.

Com a Declarecerto, além de simular seu IR para que não tenha erros, a nossa plataforma calcula todos os possíveis cenários para a sua declaração, te dando mais chances de ganhar maior restituição e ainda a envia para a Receita Federal.

Portanto, se você quer se livrar da dor de cabeça que é declarar Imposto de Renda, faça sua declaração com a Declare e ainda economize seu tempo e dinheiro!

Vem com a gente!

DECLARECERTO PREMIUM

80% DE DESCONTO

de R$399,90 por somente

R$ 79,99

EM ATÉ 6X SEM JUROS

 E pague somente na hora do envio.

Descomplique sua declaração de
Imposto de Renda com a Declarecerto e economize seu tempo e seu dinheiro!